Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

"Porque Somos Pescadores..." [3/4]

Do Local ao Universal

um universalismo que vem do facto de haver “pescadores” em todas as civilizações, do Oriente a Ocidente, ligados pelos mares e oceanos. É este mesmo universalismo, uma “globalização” fraterna e milenar, que dá sentido à palavra “católico” e não o facto de se ser, ou não se ser, “romano”, como se diz da nossa particular denominação cristã: Igreja Católica Romana.

 

 

Baden Powell também concebeu o escutismo como um movimento ecuménico, universal, em que o “lugar” e a freguesia/sede oferece o seu nome ao Agrupamento sob uma única bandeira. Postulou que era bom que o escuteiro fosse crente (judeu, cristão, muçulmano…) mas que fosse, sobretudo e muito particularmente, fiel à sua identidade e aos seus compromissos. Daí a importância que no movimento escutista se dá, com recorrência, à celebração das “promessas”, à renovação dos compromissos…

 

 

[ler+]

JNobre às 00:15

link do post | favorito

como se um poeta escrevesse o seu maior poema, com uma tinta que imediatamente desaparecesse [Milan Kundera, A Ignorância]

 

Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

+ recentes

La Leyenda del Guadiana

Tendas

Noite

Do Outro Lado da Rua

Por Pardelhas [Mondim de ...

Talvez a margem...

As "silhas" de Mondim

No Primeiro Dia da Semana

"Semana Maior"

Dos rios que correm no pe...

arquivos

tags

arqueologia

ayamonte

escuteiros pescadores

silhas

todas as tags